/Contra a COVID-19, UBTech anuncia robôs desinfetantes por assinatura
Contra a COVID-19

Contra a COVID-19, UBTech anuncia robôs desinfetantes por assinatura

Para promover a desinfecção de ambientes contra a Covid-19 (SARS-CoV-2), a empresa chinesa de robótica UBTech anunciou, nesta segunda-feira (11), dois novos robôs para a atividade, durante a CES 2021. Os robôs da linha Adibot foram desenvolvidos para a limpeza de ambientes, como escolas e academias, através de luz ultravioleta (UV-C).

Com a proposta de ser utilizado através de planos de assinatura, os robôs da UBTech têm um formato cilíndrico e planejam popularizar o padrão de desinfecção hospitalar contra a COVID-19 e outras infecções que circulam pelo ambiente. Para isso, foram desenvolvidos dois modelos: o Adibot-S, que é um modelo estacionário e deve ser transportado, de forma manual, entre as salas; e o Adibot-A, que pode ser controlado, de forma autônoma, já que poderá mapear um edifício e ser acionado através de um aplicativo ou aparelho remoto.

Contra a COVID-19 – Desinfecção através da luz ultravioleta?

Vale lembrar que a luz ultravioleta tem propriedades germicidas e pode inativar uma série de microorganismos como bactérias, vírus — entre eles, o coronavírus —, fungos e mofo. Inclusive, a eficácia da utilização de UV-C para desinfecção contra agentes infecciosos já foi documentada pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de acordo com a empresa fabricante.

“Você pode selecionar um ciclo de desinfecção de três a 60 minutos. O período que você escolher dependerá, em grande parte, do tamanho da sua sala e do agente patogênico que você deseja desativar. Como exemplo, uma sala de 900 ft² [cerca de 83m²] pode ser desinfetada com 99,9% de eficácia contra a COVID-19 em menos de 185 segundos”, comenta a UBTech, em nota.

No entanto, existem algumas medidas de segurança para o uso dos robôs desinfetantes. Por exemplo, os Adibots — ou qualquer outro equipamento de limpeza UV-C — não devem ser ativados na presença de qualquer pessoa. Isso porque as luzes ultravioletas podem causar irritação na pele e nos olhos, além de outras complicações. Para evitar eventuais riscos durante o uso, há uma combinação de câmeras com visão computacional para identificar a presença de pessoas e sensores infravermelhos para detecção de movimento que resultarão no desligamento automático do robô caso alguém esteja presente no espaço.

A seguir, confira uma demonstração do Adibot, divulgado pela própria empresa: Clique aqui.

Visto primeiro em: Canal Tech

Conheça nossos outros artigos, clicando aqui.