/Infecção hospitalar: prevenir é combater!
Infecção

Infecção hospitalar: prevenir é combater!

Hoje é comum encontrarmos pessoas que tem pavor de entrar em um hospital, pelo fato de pegar alguma infecção hospitalar. Não somente por conta de procedimentos que são realizados, mas também pela probabilidade de contrair doenças que estejam circulando pelo local.

Por ser o destino do cidadão que está doente, é real a existência de vírus e bactérias em suas dependências. Sendo assim, a limpeza e higiene dos hospitais e as práticas de seus funcionários são assuntos de alta gravidade e importância.

Não sendo somente no Brasil, a infecção hospitalar mata 100 mil pessoas por ano no país, de acordo com a Comissão Nacional de Biossegurança (CNB), um problema que ocorre tanto nas unidades públicas quanto nas privadas. Já no mundo, atinge 14% dos pacientes internados, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Infecção hospitalar” doença que se apresenta até 72 horas após a estada do paciente em uma unidade de saúde e comprova-se que ela não existia quando ele chegou ao local.

Combatendo a infecção hospitalar

Combater à infecção hospitalar é um grande desafio, já que, ainda de acordo com a Comissão Nacional de Biossegurança, 80% das unidades de saúde no Brasil não fazem os procedimentos adequados à prevenção dessas doenças (sendo as mais comuns a infecção urinária e as que ocorrem nas vias respiratórias). Contudo existe produtos que combatem essas infecções matando os germes em até 1 minuto, veja mais clicando aqui.

A presidente da Comissão, Leila dos Santos Macedo, em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”, afirma que ações simples dos trabalhadores da área de saúde poderiam diminuir a disseminação das bactérias e vírus causadores da infecção hospitalar. Atos simples como lavar as mãos corretamente e usar máscaras, bem como a correta utilização dos produtos e materiais de limpeza e higienização.

A utilização do álcool em gel também é de suma importância como modo de combater a proliferação de doenças. Fato comprovado a partir da ação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que obrigou todos os serviços de saúde do país a disponibiliza-lo para a higienização das mãos dos profissionais na área.

Nesse artigo, nós reforçamos a prática mais eficaz da higienização das mãos e combate à infecção hospitalar, assim como usar produtos desinfetantes hospitalares de princípios ativos modernos. Bem como técnicas eficazes, com o intuito de diminuir sua ocorrência no Brasil e salvar vidas.

Fontes: