/Descarte de Medicamentos
remedio

Descarte de Medicamentos

O que você faz com aquele vidro de antibiótico que sobrou na sua casa? Ou aquele antigripal vencido? Se respondeu que joga no lixo comum ou no vaso sanitário, PARE hoje mesmo! O descarte de medicamentos pela população tem sido feito da maneira incorreta há décadas, desde que a indústria farmacêutica se tornou o gigante bilionário que despeja no mercado um número exorbitante de remédios para combater todos os males da humanidade.

Compramos analgésicos, anti inflamatórios, anti alérgicos (principalmente no inverno) e mais uma infinidade de outros químicos que nos ajudam a ter qualidade de vida, mas quando eles não são mais necessários, se tornam um veneno, não só para nós, como para o meio ambiente.

O descarte de medicamentos deve ser feito de forma consciente, ou seja, de modo que não possa prejudicar nada nem ninguém. As pessoas se livram de seus frascos através do lixo comum ou despejando seu conteúdo no vaso sanitário, livrando-se do seu problema e criando um para as outras pessoas.

Mas não se engane! O restante desse medicamento vai parar em algum lugar, seja em aterros não preparados para isso, seja nos esgotos, onde a água contaminada segue para os rios, mares ou solo. Ou seja, de uma forma ou outra, aquele medicamento, vencido ou não, acabará envenenando o local por onde passou.

Descarte incorreto

De acordo com especialistas, o descarte de medicamentos como antibióticos pode gerar o surgimento de bactérias super resistentes. Se for hormônios, podem causar alterações endócrinas em pessoas e animais.

Um remédio que entrou em contato com a água que abastece uma cidade, por exemplo, pode acabar contaminando todos aqueles que a utilizam para beber ou cozinhar. Ou ainda, se jogado no lixo, um medicamento pode acabar provocando diversos males em alguém que o encontre e decida ingeri-lo.

Contudo, é importante saber que não existe uma lei que proíba o descarte de medicamentos pela população no lixo comum, mas sim uma resolução da ANVISA. Ela diz que todo fabricante de produtos que possam causar danos ao meio ambiente e a própria população é responsável pelo recolhimento e finalização deles.

Infelizmente, nem sempre isso acontece. Há um projeto de lei que determina que as farmácias devem ser um ponto de devolução daqueles remédios que a população não utiliza mais, entretanto, governos, farmácias e a indústria ainda não conseguiram chegar a um acordo sobre como resolver esse impasse.

Descarte correto

Enquanto isso, a melhor maneira de proceder quanto ao descarte de medicamentos é procurando a vigilância sanitária de sua cidade para saber como fazer. A maioria delas possui um aterro específico para esse fim, e algumas até oferecem o recolhimento dos remédios nas residências, assim como a coleta de lixo.

Outra forma de evitar o descarte em demasiado é guardando os remédios corretamente para que eles possam ser utilizados novamente. Caso necessário, sempre seguindo as orientações dos fabricantes e mantendo-os longe do alcance das crianças.

O descarte de medicamentos não pode ser encarado como um ato comum de descarte de lixo. O medicamento eliminado pela população sem o devido cuidado pode ser perigoso para todos os outros que venham a entrar em contato com resquícios dessa química que, feita para salvar, acaba por prejudicar devido ao manejo descuidado em sua finalização. Pense nisso na próxima vez que jogar um antibiótico no vaso sanitário e der a descarga.

 

FONTES: